N Engenheiros

Procura internacional pela UAlg retoma com 1800 alunos estrangeiros

A Universidade do Algarve regista uma retoma de estudantes estrangeiros, prevendo-se que neste ano letivo se aproximem dos 1800, oriundos de cerca de 80 nacionalidades, o que corresponderá a cerca de 20 % do seu universo estudantil.

Embora sem atingir aos números anteriores à pandemia, e após uma quebra em 2020/21, a academia algarvia continua a ser a preferida de muito estudantes internacionais que escolhem a UAlg para realizar um ciclo completo de estudos ou um período de mobilidade, o que faz com que seja uma das universidades portuguesas com uma maior diversidade de países representados.

Atendendo a esta realidade, a UAlg tem estado a realizar, desde o início de setembro, várias atividades desportivas, turísticas e culturais para acolher os estudantes estrangeiros, facilitando a sua integração e um maior conhecimento da região algarvia. Nestas sessões de acolhimento estiveram presentes representantes da Reitoria, do Consulado Geral do Brasil em Faro, da Região de Turismo do Algarve, do Gabinete de Relações Internacionais e Mobilidade e do Núcleo de Estudantes Brasileiros.

Além do Brasil, o país com maior representatividade, a Universidade do Algarve, no âmbito da estratégia de internacionalização e alinhada com a política nacional, também tem apostado na captação de estudantes de outros países da América do Sul, como Equador, Peru, México, Colômbia, entre outros.

Para o reitor da UAlg, Paulo Águas, “os números alcançados resultam do trabalho que tem vindo a ser realizado na Academia nos últimos anos, o que se reflete nos vários rankings que integra e que a classificam como o melhor Instituição de Ensino Superior portuguesa no que diz respeito à projeção internacional”.

Outro fator muito importante é o aumento da oferta de mestrados Erasmus Mundus. Neste âmbito, recorde-se que desde a criação do primeiro Programa Erasmus Mundus (em 2004) a UAlg já marcou presença em 19 cursos Erasmus Mundus, seis dos quais como instituição coordenadora.

Em 2020 foram aprovados três novos mestrados Erasmus Mundus, sendo que a UAlg marca novamente presença nos três, em dois como entidade coordenadora (Erasmus Mundus Master in Chemical Innovation and Regulation e International Master of Science in Marine Biological Resources) e um como entidade parceira (International Master of Science in Marine Biological Resources IMBRSea).

 

Sobre a UAlg

A Universidade do Algarve (UAlg) tem atualmente cerca de 9 mil estudantes, 19% dos quais internacionais, oriundos de mais de 84 nacionalidades, onde se destaca o Brasil, país com maior representatividade, ultrapassando os 700 estudantes.

Com 42 anos de existência, aparece pela quarta vez no ranking do Times Higher Education (THE) Young University Rankings 2021, que analisa o desempenho de instituições de ensino superior criadas há 50 anos ou menos, destacando-se no indicador que avalia a projeção internacional.

O Shanghai Ranking’s Global Ranking of Academic Subjects 2021 selecionou a Universidade do Algarve em seis áreas científicas: Gestão Turística e Hospitalidade (posição 76-100); Oceanografia (posição 151-200); Ecologia (posição 301-400); Ciências Agrárias, Ciências da Terra e Ciências Farmacêuticas (posições 401-500).

Em 2020 integra pela primeira vez o Times Higher Education Impact Rankings, que avalia o desempenho e contributo das universidades para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, colocando-se na posição 201-300, entre 766 Instituições de Ensino Superior, de 85 países, que cumpriram os requisitos de inclusão.

A UAlg oferece cursos de formação inicial e pós-graduada, nas suas diversas áreas de formação: Artes, Comunicação e Património; Ciências Sociais e da Educação; Ciências e Tecnologias da Saúde; Ciências Exatas e Naturais; Economia, Gestão e Turismo; Engenharias e Tecnologias.

A sua localização privilegiada junto ao Aeroporto Internacional de Faro e o grande número de novas rotas aéreas de ligação às principais cidades portuguesas (Porto e Lisboa) e europeias, bem como as excelentes condições que a UAlg e a região têm para oferecer, fazem com que, cada vez mais, a Academia do Sul do país adquira um estatuto central e internacional.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo