N Engenheiros

PCP de Vila Real de Santo António retira confiança política a vereador

O PCP de Vila Real de Santo António retirou a confiança política a Álvaro Leal, eleito para a autarquia pela CDU e que assumiu uma vereação a tempo inteiro por proposta do PS contra a decisão da coligação, foi hoje anunciado.

Com a aceitação do cargo de vereador a tempo inteiro, Álvaro Leal juntou -se aos três eleitos do PS, que venceu as eleições sem maioria absoluta, permitindo ao presidente do município, Álvaro Araújo, contar com votos suficientes para contrariar a oposição dos três eleitos do PSD, a segunda força mais votada, depois de ter gerido o município durante 16 anos.

"A decisão de Álvaro Leal de assumir pelouros na Câmara Municipal, indo ao encontro da estratégia e objetivos do PS, constitui uma rutura com o compromisso coletivo que assumiu, quer como militante do PCP, quer como primeiro candidato da CDU", considerou hoje a comissão concelhia do PCP, que forma a coligação com o PEV, em comunicado.

O PCP classificou a "rutura" protagonizada por Álvaro Leal como uma "inaceitável usurpação dos votos e do mandato que a CDU obteve" em Vila Real de Santo António, ao aceitar a vereação a tempo inteiro contra o parecer dos órgãos locais da coligação.

A decisão de Álvaro Leal "deixa, na prática, a Câmara Municipal de Vila Real de Santo António sem vereador que represente a CDU", sublinhou a mesma fonte, concluindo que também "não deixa outra alternativa ao PCP e à CDU que não seja a retirada da confiança política ao vereador eleito".

"A CDU não é um projeto individual, nem um instrumento ao serviço de interesses pessoais. É um amplo projeto coletivo que tem obra, percurso e história em Vila Real de Santo António", prossegue a nota.

O PCP reafirmou ainda a sua "disponibilidade para colocar os votos e os mandatos obtidos nestas eleições inteiramente ao serviço dos trabalhadores e das populações do concelho".

Esta disponibilidade é, acrescentou o PCP, "inseparável da afirmação de uma verdadeira alternativa - à gestão PS e PSD -- bem conhecida pela sua prática no concelho".

"Foi nesse contexto que, feito o indispensável apuramento coletivo, a CDU assumiu o respeito pelos resultados eleitorais, designadamente na instalação dos órgãos autárquicos, permitindo que, com os seus votos, o PS formasse, quer na Assembleia Municipal, quer na Junta de Freguesia de Vila Real de Santo António, as mesas destes órgãos bem como o executivo da Junta de Freguesia de Vila Real de Santo António", argumentou.

A comissão concelhia do partido considerou que esta é "uma atitude séria e construtiva" e vai servir para os eleitos pela CDU terem "uma intervenção independente durante o mandato, de apoio a medidas positivas e de combate ao que de negativo se poderá enfrentar no futuro".

"Uma opção que, atendidas a distinção de projetos, a conhecida prática de uma gestão por parte do PS contrárias ao que o concelho precisa e a indispensável afirmação de uma alternativa - que a influência da CDU, passada e presente autoriza - considerou a não assunção de pelouros por parte do vereador da CDU no executivo municipal", concluiu.

 

IN Notícias ao Minuto

Partilha este artigo