N Engenheiros

Faro assinala Jornadas Europeias do Património

O tema desta edição pretende sensibilizar o público para a importância da relação que a educação tem com as várias áreas da arte. Para fazer jus à temática, as comemorações em Faro têm início com uma atividade dinamizada pelos serviços educativos do Museu Municipal e do Museu Regional. Esta ação terá lugar na Horta do Ourives, dia 25 de setembro pela manhã e pretende dar a conhecer aos mais novos as origens daquela quinta, pormenores da sua arquitetura e o trabalho agrícola que ali se praticava.

Ao fim da tarde do dia 25, pelas 18:30, no Museu Municipal, o artista e médico Vicente de Brito, recentemente homenageado pela autarquia no Dia da Cidade, apresentará o seu mais recente livro, uma publicação que revela as suas memórias e o acervo impressionante de obras que tem produzido ao longo destes anos, com o seu estilo inconfundível e que representa uma das referências da arte contemporânea farense. Algumas dessas obras fazem parte do acervo Museu Municipal de Faro, que tem exibido nos últimos tempos alguns dos seus trabalhos.

À noite, pelas 21 horas, a companhia de teatro “DoisMaisUm” apresentará a peça “Laurinda não foi à guerra”, um retrato emocionante das famílias que vêm partir os seus para a guerra colonial, sempre em sofrimento enquanto não regressam a casa sãos e salvos. Um espetáculo que conta com a participação do grupo “Coral Cantate Domino” e que será apresentado no antigo claustro do Convento de Santo António dos Capuchos. O ponto de encontro é junto à entrada da Igreja dos Capuchos e da entrada da antiga cadeia civil. Esta peça, que ao mesmo tempo funciona como visita guiada a um espaço histórico da cidade pouco ou nada conhecido, repete-se no sábado à mesma hora, com lotação limitada e com uso obrigatório de máscara.

No sábado, dia 26, além da peça de teatro à noite, será inaugurada uma exposição no Museu Regional, pelas 17 horas, com trabalhos da professora Lídia Almeida, intitulada “Retalhos”, uma mostra de trabalhos que revelam o percurso artístico e as suas diferentes técnicas utilizadas nas aulas de pintura.

Por fim, terá lugar o lançamento do catálogo da exposição “Manuel Martins (1667-1742): oficial de entalhador e escultor famoso”, apresentado pela professora Sandra Saldanha (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra / CEAACP), que revela não só as preciosidades artísticas desta figura notável do barroco algarvio, mas também a sua época, as intervenções de restauro das obras exibidas e os resultados dos exames radiológicos a algumas delas.

Esta é mais uma edição a não perder, que aponta para a valorização do património da cidade e para a proximidade da comunidade com as referências artísticas do seu território, numa perspetiva de aprendizagem, de conhecimento e também de sensibilização para a sua proteção e divulgação.

Recorde-se que as Jornadas Europeias do Património correspondem a uma iniciativa conjunta do Conselho da Europa e da Comissão Europeia, coordenada a nível nacional pela Direção-Geral do Património cultural.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo